Desapego de roupas - Organizar Transforma

Desapego de roupas: por que fazer e como fazer?

Comprar roupas com frequência é um hábito sustentado (trocaria por: é um hábito de muitas pessoas) por muitas pessoas. Afinal, há quem siga as tendências da moda e goste de estar sempre atualizado. Mas mesmo quem, assim como eu, tem um estilo mais básico pode se deparar com um guarda-roupas cheio de itens sem uso. E seja qual for o seu perfil, o desapego de roupas pode ser realizado de tempos em tempos.

Já te falei, aqui mesmo no blog, sobre os compradores compulsivos. E essas pessoas não conseguem ver a palavra “promoção” ou “liquidação” sem sentirem a necessidade de arrematar algum item. Quem nunca se sentiu tentado a levar para casa uma peça de roupas e se arrependeu depois? Ou, ainda, comprou algo que não coube e não trocou nem deu para alguém?

Então, para te inspirar a desapegar, te convido a acompanhar o post de hoje. Aqui, eu te conto um pouco sobre as vantagens do desapego de roupas e como fazer isso, mesmo se você tem dificuldades de doar ou descartar itens. Confira a leitura e, depois, é só aplicar as dicas aí no seu guarda-roupas!

Motivos para praticar o desapego de roupas

O acúmulo de itens em casa gera diversos problemas, sendo a falta de espaço o mais lembrado. Mas saiba que, além desse incômodo, há outros que afetam diariamente sua vida e sua produtividade.

Se você costuma ganhar ou comprar roupas com muita frequência ou se compra com mais cautela, independentemente do seu hábito de consumo, a minha sugestão é criar o hábito do desapego de roupas.

Ou seja, sempre que trouxer uma nova peça, vale observar se você continua utilizando tudo o que tem. Da mesma forma, quando estiver escolhendo uma roupa para vestir e se deparar com algo que não faça mais sentido, já separe a peça para doação. Assim você não precisa ficar fazendo anualmente aquele mutirão; a manutenção se torna constante e sem stress.

Então, a fim de te encorajar a praticar o desapego de roupas, vale a pena conhecer alguns motivos para pôr a mão na massa.

1. Otimização do espaço e do tempo

Não poderia deixar de começar por esse benefício. Com menos peças guardadas sem uso, você vai poder colocar em prática as dicas de como organizar guarda-roupa com mais liberdade e praticidade. Além disso, você vai gastar menos tempo escolhendo o que usar ou procurando peças.

2. Autoconhecimento

O desapego de roupas é um processo desafiador, afinal, você vai precisar visualizar cada peça de roupa com atenção e tentar sentir o que ela transmite. A partir do que sentir, você vai decidir manter ou descartar.

A beleza do processo é que, ao final dele, você vai olhar para o que ficou e ter claramente uma ideia de quem é você naquele momento. E, de quebra, vai descobrir qual o seu estilo.

Somos seres mutáveis, em constante transformação. Então, tudo bem não gostar do que você gostava antes ou querer renovar seu estilo!

3. Novas oportunidades para atualizar seu estilo

Você vai manter apenas o que é coerente com quem você é hoje. E se ficarem poucas peças, você pode aproveitar para adquirir, de forma consciente, novos elementos que façam sentido para você. E, claro, sempre priorizando a necessidade e não o mero desejo ou impulso.

4. Acabar com o desperdício

Uma peça armazenada no fundo do armário, sem nenhum uso, é um desperdício, já que ela poderia ser útil a alguém ou ganhar novos propósitos.

Se você perceber que nem uma repaginada na peça seria interessante, aproveite para doá-la a alguém. Quem sabe ela não seja exatamente o que aquela sua amiga estava procurando?

Por que guardamos peças que não usamos?

O apego a itens desnecessários é um dos principais obstáculos à organização. Isso porque você não usa determinado item, mas, por outro lado, também não consegue descartá-lo ou doá-lo. O resultado é menos espaço para você preencher com elementos que sejam úteis ou agreguem algo positivo à sua vida naquele momento.

Mas se algo não tem utilidade prática naquele momento, então, por que insistimos em guardá-los? Especialistas em comportamento atestam que tudo está relacionado à necessidade humana de estabilidade e segurança. Há uma preocupação em descartar algo que seja exatamente o que procura no futuro.

Entretanto, raramente esses itens serão novamente relevantes à nossa vida. E, muito provavelmente, quando forem, nem nos lembraremos deles e poderemos até adquirir outro no lugar. Por isso, vale a reflexão chave para o desapego: pense sempre no momento presente. Você quer ou precisa desse elemento agora, nessa versão que você é hoje?

Passo a passo para desapegar

Agora que você conhece mais sobre a importância do desapego de roupas, chegou a hora de saber como realizar o processo.

Mas antes de mais nada, vale te lembrar que é preciso que você separe um tempo para isso. O processo de desapego e organização leva tempo e varia de acordo com a quantidade de itens que você tem.

Por isso, seguir as etapas com pressa vai impedir que você analise com cuidado e com a atenção que cada passo necessita!

1. Visualize todas as peças

Você precisa esvaziar os armários, cestos de roupas e prateleiras. Com todas as peças diante de você, você vai seguir para o próximo passo.

2. Faça a triagem

Lembre-se que aqui, o ponto chave é olhar para as peças que você gosta e funcionam para você hoje! Esqueça a ideia de sair procurando o que doar. Procure primeiro o que você quer manter.

Além disso, crie pilhas daquilo que você usa com frequência e do que usa apenas algumas vezes (casacos pesados, que servem só no inverno ou biquínis, por exemplo).

3. Desapegue!

Doe ou descarte conscientemente aquilo que não serve mais. Não sinta tristeza pelas roupas: aquelas que serão doadas seguirão sendo importantes para alguém. E as que serão descartadas já cumpriram o propósito delas na sua vida. Agradeça pela função que tiveram enquanto você as teve, mesmo que nunca tenha usado.

4. Conheça seu estilo

Com as peças que sobraram, seu estilo fica mais claro. Aqui, vale pensar no que você realmente vai usar, então, evite manter qualquer coisa apenas porque acha bonita ou porque deveria ter.

Se você sabe que não vai usar determinada peça, volte ao passo três e desapegue! Ame todas as peças que decidir manter e aproveite para pensar nas combinações com os itens que ficaram.

Descubra quem você é hoje e use a moda para se expressar da melhor forma. Além disso, aproveite para exercitar o consumo consciente!

A importância da moda consciente

Muito tem sido falado sobre a moda consciente ou moda sustentável. E é inegável o impacto ambiental tanto na produção de peças quanto no descarte delas.

Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e Confecção (ABIT) na região do Bom Retiro, diariamente são descartados 12 toneladas de resíduos têxteis (retalhos) produzidos por mais de 1,2 mil confecções de forma inadequada.

Por isso, antes de levar algum item para casa, vale responder a algumas perguntas:

  • Eu realmente preciso dessa peça?
  • Eu poderia pedir algo assim emprestado com uma amiga ou alugar?
  • Quantas vezes vou realmente usá-la?
  • A durabilidade da peça é grande (ela é de qualidade)?
  • Como esta peça foi produzida (houve exploração ou ainda desperdício de água ou outros insumos)?

Essas simples perguntas colaboram para que você economize, leve menos itens desnecessários ou sazonais para a sua casa e ainda colabore para um planeta mais sustentável.

E então, o que achou das nossas dicas de desapego de roupas? Você tem dificuldades de descartar roupas antigas ou não usadas há muito tempo? Conta pra mim nos comentários, vou adorar saber mais sobre o que você pensa do assunto!

Te convido, também, para assinar minha newsletter. Toda semana você vai conhecer o que está acontecendo aqui no blog, além de estar sempre por dentro dos meus cursos, oficinas e workshops, para ter uma casa e uma mais vida organizada e prática!