Compulsão por compras - Organizar Transforma

Compulsão por compras

Todo mundo tem aquele amigo ou aquela amiga que parece ter a tal da compulsão por compras. Há quem use a expressão como uma brincadeira, para um parente ou conhecido que não consegue sair de casa sem arrematar algum item.

Mas algumas pessoas realmente sofrem com essa compulsão, que é bastante séria e pode gerar consequências graves. Também conhecido como oneomania ou Transtorno do Comprar Compulsivo (TCC), o problema foi reconhecido já no início do século XX.

Hoje, a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que entre 2% e 8% da população mundial sofrem com o transtorno. Isso significa que podem haver 640 milhões de indivíduos com esse transtorno (e 80% desse total se identifica como sendo do sexo feminino).

Assim, em virtude da seriedade do tema, resolvi te apresentar mais sobre a compulsão por compras. Vem comigo, porque vou te contar um pouco sobre os sintomas, problemas que a compulsão causa, além das principais formas de tratar e controlar.

O que é a compulsão por compras

Além de oneomania, a compulsão por compras também é conhecida como “Síndrome de Becky Bloom”, em referência à personagem interpretada por Isla Fischer.

O filme “Delírios de consumo de Becky Bloom”, de 2009, conta a história de Rebecca Bloom, uma jornalista que é considerada “shoppaholic”, ou seja, ela é viciada em comprar. Geralmente, ela compra coisas de que não precisa, como roupas e sapatos super caros, que engordam a fatura de seus cartões de crédito e estouram seu orçamento.

Mas apesar da leveza e humor com que é tratado no filme, o tema demanda muita atenção.

Geralmente, as pessoas com o transtorno usam as compras como uma forma de compensar sentimentos como tristeza, preocupação ou frustração. Ou seja, não se trata de comprar algo que desejam sem planejamento financeiro: trata-se de um vício incontrolável em fazer uma compra. E, posteriormente, o inevitável sentimento de culpa e remorso.

O transtorno assola pessoas de diversas classes sociais e pode ser identificado por um ou mais sintomas que você confere a seguir.

Sintomas da compulsão por compras

Se você se identificou ou lembrou de alguém ao ler até aqui, vale conhecer a diferença entre gostar de fazer compras e ter esse transtorno compulsivo. Os principais sintomas da compulsão por compras são, geralmente, caracterizados por:

Dificuldade em resistir a comprar por impulso

Quem nunca esteve uma fila de supermercado ou loja e viu algo de interessante na gôndola ao lado? É normal, de vez em quando, se render à famosa compra por impulso. Mas a pessoa que sofre com compulsão não consegue evitar o desejo de adquirir algo e levar.

Mesmo que tente ponderar, ela constantemente fica com a ideia da compra na cabeça e não consegue evitar.

Por fim, ela acaba por se render à compra. Uma vez ou outra, os resultados podem até não ser assim tão alarmantes. Mas imagine uma pessoa que é seduzida por compras sem pensar diversas vezes no mês ou no ano? Os resultados disso são gastos astronômicos e uma vida financeira desordenada.

Gasto de tempo pesquisando itens que podem ser adquiridos

Quem sofre com um vício em comprar não consegue evitar as compras. Mas não é só isso: quando não está adquirindo algum item, ela está pensando em adquirir.

Dessa forma, ela passa o dia visitando lojas físicas ou virtuais, vendo catálogos de marcas ou fazendo listas do que acha que precisa ou deseja ter.

Alívio de dor física ou sofrimento psicológico, quando realizam compras

Quem tem compulsão por compras desconta suas tristezas ou frustrações na atividade de comprar. Por isso, se a pessoa teve um dia ruim, se ela brigou com alguém ou se está doente, sua forma de extravasar é fazendo outra compra.

Pessoas que convivem com o problema relatam sentir alívio ou sensação de prazer por meio das compras.

Mas após a euforia causada pela compra, o que resta é a culpa, a preocupação e o remorso. Por esse ciclo, muito semelhante ao de um viciado em drogas, especialistas chegam a comparar o vício em compras à dependência química.

Problemas causados pela compulsão

Além dos sintomas que podem alertar que alguém sofre com a compulsão, vale também conhecer as consequências que o problema causa. Confira a seguir:

Problemas financeiros sérios, causados pelo excesso de gastos (geralmente em cartões de crédito)

Com a alta frequência de compras e de desejos por itens que não necessitam, as pessoas que sofrem do transtorno de compras frequentemente contam com gastos exorbitantes.

Dessa forma, elas não conseguem economizar ou ter uma vida financeira saudável. Pelo contrário: extrapolam cartões, gastam dinheiro destinado ao pagamento de contas e, frequentemente, dependem da ajuda de familiares e amigos. E isso leva ao próximo ponto.

Dificuldade em relacionamentos

Os oneomanos não conseguem controlar seu impulso e, por este motivo, sofrem com o superendividamento. Frequentemente, estouram o orçamento de seus cônjuges ou familiares com compras desnecessárias, o que gera conflitos familiares graves.

Falta de espaço em casa por excesso de itens

Por comprar itens excessivamente, os oneomanos podem sofrer também com o acúmulo de objetos em casa. Frequentemente, os acumuladores compulsivos também apresentam um ou mais sintomas relacionados à compulsão por compras.

E assim como a casa de hoarders, a desorganização causada por excesso de itens pode ser uma das maiores consequências de quem convive com o vício em comprar.

Por perder a noção de espaço e por desejar ter mais do que sua casa comporta, essas pessoas podem ter casas muito cheias de objetos e armários lotados, até mesmo com itens repetidos.

Culpa, remorso e outros sentimentos

O círculo vicioso causado pela compulsão gera também sentimentos de culpa, remorso, além de crises depressivas e de ansiedade.

Por não conseguir gerir suas finanças, quem sofre com o transtorno tem de lidar com as consequências dos excessos cometidos. E isso pode prejudicar seus relacionamentos com a família e amigos.

Tratamento e como evitar gatilhos

Há diversas formas de tratar a compulsão por compras, mas é fundamental entender que o transtorno não tem cura. A pessoa que sofre com esse vício pode precisar controlar seus impulsos por períodos longos ou até mesmo por toda a vida.

E a forma mais eficaz de tratamento é buscar auxílio profissional. Com o acompanhamento de um médico psiquiatra e a prescrição de medicamentos, o paciente conseguirá controlar melhor o desejo de comprar.

Além disso, algumas atitudes dificultam que a pessoa com o transtorno se renda aos seus impulsos. O primeiro passo é quebrar cartões de crédito ou guardá-los em locais de difícil acesso.

Pedir que familiares ou amigos de confiança sejam os portadores desses cartões também pode ser uma opção. Vale também evitar expor a pessoa a programas e saídas que possam desencadear o desejo de comprar.

Assim, o ideal é priorizar saídas ao ar livre e passeios por ambientes que não envolvam compras. Ou seja, shopping centers e centros comerciais com muitas lojas não são boas opções de programas para essas pessoas.

O acompanhamento e o planejamento financeiros complementam as ideias que transformam positivamente as atitudes de quem tem compulsão por compras. Por isso, investir em um plano de investimento que a pessoa se comprometa mensalmente é aconselhável.

Além disso, vale introduzir a pessoa em aprendizados sobre economia e canalizar o desejo de comprar para outras atividades. Por isso, é comum que essas pessoas busquem um hobby ou uma atividade física. Elas poderão servir como válvula de escape às suas ansiedades e preocupações.

E você, conhece alguém que sofra com a compulsão por compras? Então, compartilhe este post com essa pessoa! E se gostou do conteúdo, te convido a acompanhar sempre meu blog e redes sociais. Por aqui eu sempre te atualizo com novidades sobre a organização pessoal e dicas de personal organizer!