Comprei e não usei: 5 itens de uma vida imaginária

Você sabe o que são compras para uma vida imaginária?

São itens que a gente compra porque IMAGINA um estilo de vida que gostaríamos de ter mas que, na realidade, não temos e nem vamos ter. Eu ouvi esse termo em um vídeo da Fernanda Neute, do blog “Fê-liz com a vida!”, em que ela conta sobre coisas que não compra mais porque entendeu que não fazem parte do estilo da sua vida real. 

Isso me acendeu uma luz e me fez lembrar de itens que eu já comprei por imaginar que usaria, mas… só ficaram ocupando espaço! (Acho que todo mundo aqui já fez isso, né?) A maioria eu nem usei, e acabei me desfazendo deles na grande organização que fiz na minha casa.

5 itens da minha vida imaginária

Dentre as coisas que eu comprei para a minha vida imaginária e não usei, tem 5 que se destacam: 

  1. Quando eu morava na casa dos meus pais eu decidi que queria ser mais fitness. Eu não gostava de fazer musculação, então resolvi comprar um Transport – alguém aí sabe o que é um transport? – Eu o coloquei no quarto, e ele ocupava a maior parte do espaço. Preciso contar o que aconteceu com esse Transport depois de alguns dias? Virou um cabideiro! 
  2. Quando eu me casei, comprei um rolo de abrir massa pois achei que iria para a cozinha fazer massas incríveis… só que não, né? Eu nunca fui uma pessoa com grandes dotes culinários, mas aprendi a cozinhar – até porque eu precisei. Hoje adoro cozinhar, mas passo longe das massas feitas em casa… assim, o rolo foi embora em uma das minhas levas de doações, porque eu não o utilizava.
  3. Depois que meus filhos nasceram eu comecei a perceber que tinha grandes olheiras… obviamente, pois eu não dormia direito. Aí um dia eu estava andando em uma loja de produtos naturais e decidi comprar uma máscara de gel. Me imaginei num spa, tomando um banho relaxante com a máscara para diminuir as olheiras… Acontece que eu nunca usei e quando fui organizar minha casa, encontrei a máscara e ela estava vencida. Nem cheguei a usar e acabei resolvendo meu problema da olheira com maquiagem – foi o que consegui fazer na minha vida real.
  4. Eu sempre achei extremamente lindo e elegante essas mulheres com decotes, sapatos altos… na minha época de consumo não tão consciente, acabei comprando roupas bem decotadas e saltos enormes! E só fui perceber que não ia usar depois de anos desses itens parados no meu guarda-roupa. Resultado: separei tudo e vendi os itens mais caros e doei o restante – todos praticamente novos. Só na minha vida imaginária eu usaria saltos cheios de brilho e blusa de balada (que eu nem vou)… 
  5. Eu imaginei também que faria banhos relaxantes em casa e por isso comprei alguns sais e aromas de pingar na banheira. Para não dizer que foi totalmente inútil, eu usei algumas gotinhas para dar banho no meu filho quando ele era bem novinho. Mas assim como a máscara de gel para olheiras, os sais de banho e aromas ficaram no fundo da gaveta, passou da validade e eu perdi. 

Sendo bem sincera, eu senti uma grande leveza quando me desfiz desses itens. A gente tem o costume de se cobrar muito para usar o que compra, mas não conseguimos e acabamos caindo em contradição – o que acaba gerando um estresse interno.

Hoje procuro comprar com muito mais consciência. Sempre me pergunto “pra que eu vou usar?” ou “eu preciso mesmo?”. O resultado é que quando eu compro algo novo – e é gostoso comprar coisas novas – eu não tenho mais aquela ilusão de que vou usar na minha vida imaginária e fico feliz só naquele momento… muito pelo contrário, esse novo item me traz uma alegria duradoura e real. 

Você também já comprou coisas para a sua vida imaginária? Me conta aqui nos comentários!